terça-feira, 6 de agosto de 2013

Diz-me

Diz-me
Que não é em vão,
que a chuva caí, por um motivo
não somente sem razão.
Diz-me:
que não foi por acaso
que o sol nasceu como estrela
 e que todos têm direito a ela.
Diz-me:
Que não é por capricho que o vento sopra veloz
que há um motivo, que só a natureza lhe dá voz.
Escuta-me
Porque será que tenho, estes pensamentos?
 que me dou a esta filosofia de vida
Escuta com atenção,
já te interrogaste também?
Porque temos o amor ou até outros sentimentos
Pensa comigo:
 algo subrenatural, existe, nos regue e leva-nos numa direção.
Porque somos feitos desta massa  ?
 e não como outro produto qualquer
será que partilhas comigo
consegues ter esta opinião?
A de que o homem foi feito á semelhança daquilo que é bom
mas como a natureza ás vezes se enfurece.
Aí perguntamo-nos:
porque será, que eu existo?
Diz-me