quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Em Vão


O suor pinga-lhe pelo rosto
As lágrimas saltam dos olhos
Já não veem
Só os sentidos estão apurados
É preciso salvar vidas
Onde estão não vê……
O bafo de calor, lembra-lhe o Inferno
As nuvens de fumo, o abismo.
E é a hora de saltar
Senão…
O Inferno, entra no corpo
 e o abismo inevitável
Quem te vem salvar?
Ficou tudo escuro.

Olívia Marinho