quarta-feira, 21 de agosto de 2013

incognita

Será que me enganei?
Dei-me por inteira a vós e agora
Onde foi parar a recmpensa?
De certo houve falhas...
Com certeza que errei.
Mas na verdade estou aqui,
Não me fui embora.
Será uma incógnita, um sentimento?
Um estado de espirito mais elevado.
Pefiro pensar asim, mas deixa-me tensa.
Podeis dizer:
Deixa para lá, isso é uma verdade,
Mas era preciso que eu não tivesse consciência,
Mas disso ninguém me pode acusar
Tenho isso em minha existencia, em meu corpo, minha alma.
Só assim eu vivo
Somente assim, eu existo para a amizade.

Olívia Marinho