segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013


Nem todos vêem um Poeta


Escrever coisas bonitas,
A natureza também o é,
Assim como as pessoas
Altruístas ou egoístas.
Lá no horizonte, olho e penso,
Deixo-me levar e escrevo, até.
Só por isso, posso ser poeta?
Ou quem não escreve
Mas como eu vê as coisas belas
Então Poeta já não o é?
Poesia, é sensibilidade,
Dedicação, é bondade
Ser solidário, é ajudar os outros
 E fazer a caridade.
A poesia, será um meio de ver tudo.
Mostrar aos outros, aquilo que eles não vêem,
Só olham e aí não podem escrever.
Porque escrever, é registar emoções.
Cada um interpela-as como quiser.
Por aí se vê a reacção de quem lê.
Quem sabe vai perguntar:
 Afinal aonde está o Poeta?



Olìvia Marinho