sábado, 2 de fevereiro de 2013


 
Cidade Antiga

Porto á noite, Porto da Ribeira.
Quem vem ao Porto, pode escolher,
Tem sempre a alegria por companheira.
As ruas estreitas de vielas,
Desces as ruas e não te vais perder.
Deparas-te com maravilhas sem fim.
Tem pontes novas e velhas
Feitas com grandes arquiteturas.
Os Turistas tudo admiram,
Nós passamos e nem reparamos nelas
Não há nada que se compare,
As ruas num frenesim
Pois todo o povo tem a sua Graça.
Este Povo,a  todos agradam
Não saloios, têm posturas,
Do seu jeito de falar, repare
É sempre sincero e de coração,
E nunca, nunca é de farsa.

Olívia Marinho