quinta-feira, 4 de julho de 2013

Persistência

Os meus olhos teimam em não se fechar,
Não quero perder tempo...
Não me posso dar a esse luxo.
Ficar para aí a malandrar..
Tenho de seguir em frente,
Com a ideia que pode ser o ultimo momento
Quem sabe o que nos reserve amanhã?
Não. não me posso dar a esse luxo,
De deixar para trás, o verdadeiro,
Tenho de ser fiel a mim e aos outros,
Senão fosse assim, aí sim estaria muito doente.
Por isso as batalhas vão surgindo
Eu estou aqui, a fazer por ganhar,
Não sei se a guerra.
Não é isso que me faz cá andar
O que me move é a vida, a natureza,
Porque ainda gosto do cheiro da terra,
Do sol, da chuva e até de um luar...
Não , não quero perder tempo
Não me dou a esse luxo,
Porque a vida é um momento.
Enquanto poder, agarro-o com firmeza,
só peço:
Deus dai-me forças para eu continuar.

Olívia Marinho