segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

o destino manda

Ás vezes, penso… Penso que o destino, brinca… Brinca com os meus sentimentos Com o meu corpo… E eu que não quero sofrer Com a doença e com os pensamentos Fico-me para aqui a escrever… Escrever coisas, Se calhar de pouco valor Não me importo, Só sei que me faz bem Escrevo de tudo, conforme o humor Serei palhaço ou figura nobre? Quem o sabe, eu não… Palhaço rico ou pobre. Meu corpo, meu coração Espero que esteja como convém. Na hora, no momento… E no local, mais perfeito, Fim É o último lamento Pois está acabado, está feito. Olívia Marinho